História da Corrupção

Roma Antiga

Foi na Grécia clássica que as formas de divisão setorial e hierárquica da administração…

Sociedade Portuguesa

A origem da corrupção no Brasil, para muitos historiadores, tem suas origens…

União Soviética

E por fim, nós podemos citar um caso mais recente historicamente falando, que é o da União Soviética..

História da Corrupção no Mundo

Muitas pessoas estão cada vez mais incomodadas com os casos de corrupção ocorridos no Brasil atualmente, e por conta disto, muitas delas também pensam que a corrupção não ocorre em nenhum outro lugar do mundo e que ela não tem origens em outros lugares que não sejam aqui.

Mas a verdade é que infelizmente desde que a humanidade começou a se organizar como sociedade estruturada e com sistemas de poder bem definidos, a corrupção se faz presente em seu seio.

Portanto, nas próximas linhas, nós vamos mostrar em detalhes a verdadeira História da corrupção no mundo, dando uma noção sobre suas origens e mostrando casos mais notórios ocorridos no mundo.

Roma Antiga

Foi na Grécia clássica que as formas de divisão setorial e hierárquica da administração pública surgiram, e foi com base nelas que todas as formas que conhecemos hoje tomaram corpo.

No entanto, foi na Roma antiga que estas formas acabaram sendo envenenadas pela corrupção, que obrigou os imperadores romanos a criar formas e mecanismos que permitissem aplacar seus danosos efeitos.

Um bom exemplo disto foi a implementação dos livros contábeis, além da obrigação dos governos de prestarem contas sobre seus gastos e também sobre as suas receitas (numa prática que é observada até os dias de hoje em muitas sociedades).

Infelizmente, apesar destas medidas importantes e interessantes, o fato é que a corrupção se fazia presente em todos os níveis, gerando prejuízos grandiosos para a sociedade.

Para que se tenha uma vaga ideia do que ocorria, militares costumavam cobrar dos camponeses uma quantia para lhes garantir “proteção” (vale lembrar que esta proteção já estava garantida pela própria finalidade da criação do exército romano).

Pois foi por conta desta corrupção arraigada e generalizada em todos os principais setores do Império Romano, que, segundo muitos historiadores, esta grandiosa sociedade acabou ruindo de dentro pra fora.

 

A Raiz da Corrupção

Markus Steiger

Nos dias atuais a palavra corrupção é constantemente usada tanto nos noticiários como nas conversas. Quando pensamos e falamos de corrupção, a relacionamos rapidamente aos governantes, políticos, grandes empresários, clubes de futebol ou partidos políticos. Mas será que a corrupção somente se resume a estas pessoas? Será que nós em nossas atividades, maneiras de pensar ou atitudes também não somos de alguma forma corruptos? Nunca ficamos com troco a mais quando o vendedor se confundiu? Nunca furamos o sinal vermelho quando estávamos apressados? Nunca olhamos e baixamos filmes e músicas de forma ilegal? …

Estamos frequentemente procurando formas de tirar vantagem das situações ao nosso redor para o nosso próprio conforto, ou seja, estamos praticando a corrupção.

Pode-se definir o significado da palavra corrupção em 3 pontos:

1. Ato ou efeito de corromper ou corromper-se;

2. Decomposição física de alguma coisa; putrefação;

3. Modificação das características originais de algo.

Foi justamente este terceiro aspecto que aconteceu com o ser humano. Após a criação do homem por Deus, segundo a Sua imagem e semelhança, aconteceu a queda do homem ao desobedecer a Deus no Jardim do Éden. Desde então, todo ser humano nasce em pecado, ou seja, as características originais do homem foram modificadas. Em outras palavras: o homem corrompeu-se.

A pergunta é: “Qual é a raiz dessa corrupção?”

A Bíblia nos dá a resposta. Em Mateus 15.19-20a, ela afirma: “Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem”.

E em Jeremias 17.9 está escrito: Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá?”

Então, se todos nós estamos contaminados pelo pecado, somos todos corruptos perante Deus. Mas existe alguma saída para este problema? Há esperança para o ser humano? A raiz da corrupção pode ser cortada?

Sim, Deus mesmo providenciou a saída dando Seu próprio e único Filho, Jesus Cristo, para morrer pela nossa culpa na cruz. Lá nessa cruz Jesus levou sobre Si todos os nossos pecados e assim podemos obter perdão e uma nova vida. Se reconhecemos que do nosso coração não procedem coisas boas e aceitamos a salvação oferecida por Deus – através de Jesus – nosso coração será transformado. Ele perdoará nossos atos de corrupção e nos dará uma nova vida!

Aceite hoje mesmo esta oferta de salvação que Deus faz a você!

Markus Steiger

Corrupção na Sociedade Portuguesa

A origem da corrupção no Brasil, para muitos historiadores, tem suas origens na sociedade portuguesa, que ainda hoje apresenta traços corruptos (em menor escala do que em outros tempos).

A corrupção na sociedade portuguesa, especialmente nos tempos do Brasil Colônia, era realmente muito intensa e estava presente em todos os níveis, sendo que ela realmente se mostrava mais forte dentro da corte lusa.

Havia os chamados “amigos do rei”, que eram membros da corte que simplesmente não faziam nada de útil, mas que, em troca de favores (muitas vezes banais), ganhavam títulos e terras, especialmente na imensa colônia na América do Sul.

O modelo português, com, entre outras coisas, cartórios notariais que criam muita burocracia para quem deseja oferecer dificuldades para depois vender facilidades acabou ficando no Brasil até os dias de hoje, dando forma ao famoso “jeitinho brasileiro”.

A União Soviética

E por fim, nós podemos citar um caso mais recente historicamente falando, que é o da União Soviética, que acabou dando origens à imensa corrupção presente na sociedade russa nos dias de hoje.

Por conta da imensa máquina burocrática criada pelo modelo socialista soviético, com diversas células instaladas pelo imenso território russo, era prática comum o desvio de dinheiro público, e também a cobrança de propinas para supostas facilidades serem vendidas ao sofrido povo.

Ajude-nos a crescer e ajudar a Sociedade

Dê-nos sua Sugestão

Sua sugestão é muito importante para o nosso site. Através dela melhoramos a quantidade e a qualidade da informação disponível.

Corrupção na Era Bíblica

Perguntas e Respostas

O que a Bíblia diz sobre a corrupção?

– O termo “corrupção” não aparece muito na Bíblia, mas o “fenômeno” da corrupção, da degeneração do comportamento humano que “rompe” a convivência harmoniosa entre os homens, este aparece em muitas passagens.

– Um exemplo clássico é o da “Vinha de Nabot” (Reis 1,21). Nabot possuía uma vinha próxima ao palácio do rei Acab. O rei lhe propôs comprar a vinha, mas Nabot recusou vendê-la porque a vinha era a herança dos seus pais. Jezabel, a esposa do rei, sugeriu-lhe que levasse os anciãos do reino a prestar falsos testemunhos contra Nabot, acusando-o publicamente de blasfêmia contra Deus e contra o rei. Nabot foi apedrejado e o rei se apropriou da vinha.

– O episódio bíblico revela vários fenômenos de corrupção, sem precisar usar o termo “corrupção” para defini-los como tal: mostra aquela que sugere um estratagema corrupto, aquele que aprova e opera o esquema corruptor, aqueles que se deixam corromper e se tornam cúmplices do esquema, mentindo e acobertando, aqueles que reagem passional e criminosamente em um suposto gesto “justiceiro”, assassinando o inocente… Toda a sociedade se deixa “romper” em sua harmonia.

O que a Doutrina Social da Igreja fala sobre a corrupção?

– A doutrina não trata da corrupção a partir dos seus dados empíricos, coisa que cabe à sociologia; ela encara o problema a partir da perspectiva ética, iluminando os meios para o eficaz combate à corrupção.

– Com esta visão construtiva, a Igreja aponta princípios e valores a ser adotados pela sociedade, em vez de ficar apenas indicando o que deve ser evitado.

– Além do Compêndio da Doutrina Social da Igreja (DSI), as coordenadas para superar a corrupção encontram-se ainda na “Sollicitudo rei socialis” e na “Centesimus annus”, sempre com o foco positivo em construir uma sociedade do amor e da justiça, que não “corrompa” o equilíbrio e a harmonia entre todas as pessoas – harmonia necessária para a realização de cada pessoa.

– A encíclica “Laudato Si’” também aborda com visão propositiva a superação da corrupção, ao propor uma “ecologia humana” que vá muito além e mais a fundo que um mero “ambientalismo”: os atos humanos que corrompem o equilíbrio natural não podem ser combatidos de modo fragmentado, isolado; é preciso passar a enxergar e promover a integridade e integralidade da pessoa, em sua harmoniosa convivência com o próximo e com o mundo. É esta visão de propósito de vida o que pode superar a “corrupção” do homem e da natureza, e não a vã condenação de atitudes pontuais.

O que o termo “corrupção” significa?

– A palavra vem do latim “corruptio”, derivada do verbo “rumpere”: romper, quebrar. Corromper ou ser corrompido significa romper. Romper o quê? Romper o equilíbrio natural entre as pessoas, romper a integridade moral, romper a harmonia, romper a fraternidade.

– Atualmente, a palavra “corrupção” costuma remeter ao mundo da política e das instituições que rompem a justiça e defraudam a sociedade.

– No entanto, o conceito de “corrupção” é mais abrangente do que a corrupção política, social, econômica. A corrupção é do indivíduo: ela se enraíza em cada pessoa que se deixa corromper ou que corrompe o outro.

– Assim, o fenômeno concreto da “corrupção” está presente no interior de cada pessoa que rompe a harmonia na convivência com o próximo ao buscar vantagem pessoal indevida.

 

O salmo 12 é uma exortação profética?

Dizem os especialistas que este é um salmo de exortação profética contra os ímpios. O profeta, no meio da multidão reunida para uma festa, denuncia os infiéis à aliança por seus atos, sobretudo a injustiça e a apostasia. Outros quatorze salmos poderiam ser classificados da mesma maneira.[1]

Vamos acompanhar a leitura do salmo 12 com dois olhares: um voltado para o passado, outro para o presente. No passado, vamos investigar o contexto, o sentido e as propostas do salmo 12. No presente, abordaremos o tema da corrupção, tratado pelo salmo, e tão em evidência nos dias que correm.

Pois, como diz Ivo Storniolo, este salmo nos convida “a olhar para o fracasso e a derrota, o sofrimento e a marginalização do povo, aceitando o desafio de descobrir as estruturas do mal, escondidas por trás das estruturas e instituições da sociedade e da política internacional”[2].

Encontramos o assunto do Sl 12 em vários profetas. Com destaque para Oseias, Miqueias, Jeremias e Trito-Isaías.

Em Os 4,1-3, por exemplo, o profeta observa que a aliança javista não é mais respeitada no norte do país. Isto se manifesta como ausência de integridade e solidariedade nas relações sociais. Por isso aumentam o perjúrio, o assassínio, o roubo, o adultério.

Mq 7,1-7, no sul, denuncia o desaparecimento da fidelidade e da justiça na sua época. E garante que existe tremenda aptidão de seus contemporâneos para o exercício do mal:

“Para fazer o mal as suas mãos são hábeis:

o príncipe exige,

o juiz julga por suborno

e o grande expressa a sua ambição” (v. 3).

Corrupção na Sociedade

Miquéias 7.2,3 “Pereceu da terra o homem piedoso, e não há entre os homens um que seja reto. Todos armam ciladas para sangue; cada um caça a seu irmão com uma rede. As suas mãos fazem diligentemente o mal; o príncipe exige condenação, o juiz aceita suborno, e o grande fala da corrupção da sua alma, e assim todos eles são perturbadores”.

A sociedade capitalista muitas vezes valoriza mais o dinheiro do que as pessoas. Este pensamento utilitarista abre brechas para ações corruptas como:

  1. a) SUBORNO: Êxodo 23.8 “Também suborno não aceitarás, pois o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos”.

O suborno é uma troca de favores remunerada, quando “o ímpio acerta o suborno em secreto, para perverter as veredas da justiça” (Provérbios 17.23). Mas a Palavra de Deus condena o suborno, pois “ai dos que…justificam o ímpio por suborno, e ao justo negam justiça” (Isaías 5.22,23).

Corrupção no Comércio

Miquéias 6.11 “Poderei eu inocentar balanças falsas, com um saco de pesos enganosos?”.

A corrupção está presente no comércio, que visa o lucro a qualquer preço. Alguns tipos de corrupção comercial são:

  1. a) PREÇOS INJUSTOS: Provérbios 11.1 “Balança enganosa é abominação para o Senhor, mas o peso justo é o seu prazer”. A balança enganosa é quando mostra um peso errado para entregar menos produto ao consumidor e com isso, fazer que pague mais por menos. O diabo que é ladrão e rouba, mas “o peso e a balança justos são do Senhor; obra sua são todos os pesos da bolsa” (Provérbios 16.11). Quando uma pessoa supervaloriza um produto, está cometendo corrupção.
  2. b) DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS: Deuteronômio 25.13-16 “Não terás dois pesos na tua bolsa, um grande e um pequeno. Não terás duas medidas em tua casa, uma grande uma pequena. Terás somente pesos exatos e justos, e medidas exatas e justas, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá. Pois o Senhor teu Deus abomina todo aquele que pratica tal injustiça”. Os dois pesos e duas medidas servem para vender sob uma medida menor e comprar exigindo uma quantia maior. Ou seja, quando a pessoa vai comprar algo quer pagar menos do que vale e quando vai vender exige um preço abusivo. Também existem aqueles que cobram de acordo com o freguês, se aparenta ser uma pessoa mais rica, cobram mais.

 

A corrupção comercial chega a um ponto que as pessoas desvinculam o dinheiro do pecado, achando que ser for pago, logo pode fazer tudo. Mas Deus se entristece e não quer que nos vendamos, pois fomos comprados por Cristo (I Coríntios 6.20).

!

Corrupção na Política

Deuteronômio 16.19-20 “Não torcerás a justiça, nem farás acepção de pessoas. Não tomarás subornos, pois o suborno cega os olhos dos sábios, e perverte as palavras dos justos. Segue a justiça, e só a justiça, para que vivas e possuas a terra que o Senhor teu Deus te dá”.

Finalmente, a corrupção também chega à política. A palavra política vem do grego polyticos, que significa cidadão da polys, que é a cidade. Então todos nós somos políticos, quando exercemos nossa cidadania.

Duas formas de corrupção na política são:

  1. a) LEIS INJUSTAS: Salmos 82.2-5ª “Até quando defendereis os injustos, e tomareis partido ao lado dos ímpios? Defendei a causa do fraco e do órfão; protegei os direitos do pobre e do oprimido. Livrai o fraco e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios. Eles nada sabem, e nada entendem. Andam em trevas”. Infelizmente, muitas pessoas quando chegam a um cargo ou função pública, acaba se corrompendo e usando os recursos para benefício pessoal e legislando em causa própria.
  2. b) POLÍTICOS INJUSTOS: Isaías 10.1,2 “Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que escrevem perversidades, para privar da justiça os pobres, e para arrebatar o direito dos aflitos do meu povo, despojando as viúvas, e roubando os órfãos!”. Precisamos saber o que as pessoas fazem quando chegam ao poder e lutar contra a injustiça. “Os teus príncipes são rebeldes, companheiros de ladrões; cada um deles ama o suborno, e corre atrás de presentes. Não fazem justiça ao órfão, e não chega perante eles a causa das viúvas” (Isaías 1.23). Se um político não defende os direitos do povo, não está cumprindo o seu papel.